unicef

 

Nossos últimos 10 dias foram dedicados aos projetos e instituições que estão recebendo apoio de algum site em nossa “Gincana Solidária” e ainda assim descobrimos muitas informações que precisam ser compartilhadas. Salvamos tudo, e hoje compartilhamos um assunto que foi abordado pelo UNICEF. Como o assunto é um pouco longo, dividimos em duas partes, é importante ler pessoal, só assim podemos melhorar um pouco a nossa sociedade. E de qualquer forma, ‘facilitamos’ um pouco a linguagem do texto, assim que sem preguiça, hein!!!

Medidas urgentes são necessárias para evitar que milhões de crianças sejam privadas dos benefícios gerados por inovações, afirma o UNICEF em relatório global lançado no 25o aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança. De acordo com a organização, conectividade e colaboração podem impulsionar novas redes globais, com o objetivo de alavancar inovações para alcançar todas as crianças.

O relatório Situação Mundial da Infância 2015 – Reimagine o futuro: Inovação para cada criança conclama governos, profissionais do desenvolvimento, empresas, ativistas e comunidades a trabalhar em conjunto para estimular novas ideias que possam solucionar alguns dos problemas mais prementes enfrentados pelas crianças – e encontrar novas formas de dimensionar as melhores inovações, e as mais promissoras em termos locais.

“Em nosso mundo cada vez mais conectado, soluções locais podem causar impacto global – beneficiando crianças em todos os países que ainda enfrentam diariamente desigualdade e injustiça.” –  afirma Anthony Lake, diretor executivo do UNICEF.

O UNICEF acredita que as melhores inovações virão das redes, das inovações e elas não virão de cima para baixo, no caso dos adultos para os mais jovens. E sim ao contrário, virão de jovens, de adolescentes e das próprias crianças. Desde de 1989, grandes progressos têm sido realizados na promoção dos direitos da criança – reduzindo drasticamente o número de crianças que morrem antes de completar 5 anos de idade e ampliando o acesso a educação e a água limpa.

Entretanto, os direitos de milhões de crianças são violados todos os dias. As crianças pertencentes à parcela dos 20% mais pobres do mundo têm probabilidade duas vezes maior de morrer antes de seu quinto aniversário do que as crianças que fazem parte dos 20% mais ricos. Nos países menos desenvolvidos, cerca de uma em cada quatro crianças está engajada em trabalho infantil. Milhões de crianças sofrem regularmente discriminação, violência física e sexual, assim como abusos e negligência.

Esta edição do principal relatório do UNICEF argumenta que inovações – como sais de reidratação oral ou alimentos terapêuticos prontos para consumo – ajudaram a impulsionar mudanças radicais na vida de milhões de crianças ao longo dos últimos 25 anos, e que outros produtos, processos e parcerias inovadores são essenciais para a concretização dos direitos das crianças mais difíceis de alcançar.

Parte 2, sábado!

Ana Farias postou isto no dia 04 de dezembro de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral