Publicado por Ana Farias em 16.ago.2018

Um pesadelo para as crianças

O relatório do UNICEF de 2017 traz um alerta sobre as ameaças enfrentadas pelas crianças no mundo, e podemos dizer que esses números são preocupantes. A organização afirma que, em vários países, adolescentes e crianças “foram usadas como escudo humano, foram mortas, mutiladas, sequestradas e recrutadas para combater”.¹

Uma matéria do Jornal NEXO traz mais detalhado a situação enfrentadas em 3 localidades. 700 Crianças foram assassinadas entre janeiro e setembro no Afeganistão, detalhadamente isso seria quase 80 crianças por mês. E no meio a tantos ataques e guerras, foram apontadas 135 crianças sendo usadas como terroristas suicidas pelo grupo terrorista Boko Haram na Nigéria e nos Camarões. A lista de violações que essas crianças e adolescentes sofrem é enorme. Se consideramos que todas as regiões de guerra são próximas o tamanho do estrago é ainda maior.

Colocamos ainda para que vocês pensem as últimas ações que aconteceram nos EUA quando decisões do governo separaram pais e filhos, segundo pesquisas cerca de 1.995 crianças e adolescentes imigrantes foram separados de suas famílias entre 19 de abril e 31 de maio.² Uma das questões mais preocupantes é o fato de nesses processos muitos pais perderem as informações sobre o paradeiro de seus filhos.³ Alguns precisaram realizar exames de DNA para tentar encontrá-los. Essa intolerância contra imigrantes por si só já é absurda, o fato de prejudicar o futuro desses menores torna toda essa ação ainda mais irresponsável ao nosso olhar.

No Brasil a nossa guerra diária contra a violência das cidades é o maior reflexo sobre a violação de direitos, mas não pensem que esse pesadelo existe só pelo convívio com a guerra do tráfico. As violações existem desde o momento que uma criança não consegue vaga em uma creche ou mais tarde em uma escola. Quando precisa ter acesso a saúde e o mesmo lhe é negado.

O que a gente quer dizer com essas comparações?

Não importa qual o local que a gente analise, em 1950 foi proclamado uma declaração pela ONU que listava todos os direitos que nós seres humanos temos. O mundo hoje está violando os direitos dessas crianças e adolescentes e os que podem fazer algo, não fazem. As guerras do oriente médio acontecem desde muito tempo, os envolvidos muitas vezes já nem sabem a razão de estarem guerreando ou de terem começado, mas seguem em guerrilha. O governo americano ignora o fato de que boa parte do que possuem hoje foi construído com a ajuda dos imigrantes e os tratam dessa forma.

Nós brasileiros questionamos o sistema de cota por não entender a real proposta desse processo e com isso continuamos fazendo com que aqueles que possuem seus direitos violados sigam isolados. Temos uma grande dificuldade de entender que dar oportunidade para quem não teve não é uma esmola, é tentar reparar os anos de colonização que tivemos. Desde D. Pedro que os que possuem acesso prosperam. Os que não possuem acesso, mas por algum motivo são beneficiados pelos que possuem podem até prosperar, mas muitas vezes pagam um preço alto por isso.

A cada dia que passa ficamos mais convencidas de que o mundo precisa de mais empatia. Que muitos pedem socorro e a gente não está sabendo ler esses pedidos. Não adianta a gente querer que a pessoa na fila do mercado tenha empatia, se a gente não aplica esse principio dentro da nossa própria casa. Empatia é um efeito dominó.. quem recebe vai perceber a importância e repassar, pensem nisso ♥

DEIXE SEU COMENTÁRIO