siria-doe

Ainda falamos nisso? Sim. E continuaremos enquanto esse assunto precisar ganhar destaque. O site do UNICEF Brasil postou mais informações sobre a situação das crianças em GAZA, como achamos importante manter todos os que passam aqui informados. Essa abordagem só foi possível devido à uma pausa no conflito, o que permitiu ao UNICEF trazer ajuda humanitária essencial para as crianças em Gaza. Só que uma paz sustentada é necessária para se chegar a outras centenas de milhares de crianças que precisam desesperadamente de apoio para reconstruir sua vida.

“Este conflito, que vem no topo de conflitos anteriores e aprofunda a pobreza, tem tido um impacto devastador sobre as crianças, que compõem metade da população de Gaza. Junto com nossos parceiros, estamos oferecendo cuidados e apoio essenciais, mas as necessidades das crianças são imensas e críticas”, disse a diretora executiva adjunta do UNICEF Yoka Brandt.

Aos que acompanham um pouco o conflito que está acontecendo por lá nesse momento sabem que essas necessidades só tendem a aumentar com esse conflito continuado. É impossível oferecer o auxílio necessário às famílias refugiados, menos ainda aos que não conseguem se refugiar e seguem na zona de guerra. Brandt viajou para Gaza, se encontrou com crianças deslocadas e feridas, e também conversou com crianças em Sderot, no sul de Israel. Com essa viagem ele consegue claramente dizer que o cessar-fogo permitiu equipes técnicas apoiadas pelo UNICEF a começar a reparar infraestruturas essenciais danificadas por ataques aéreos e bombardeios, incluindo aquedutos e sistemas de saneamento.

Aproximadamente 110 mil pessoas receberam água potável e suprimentos de higiene, e os hospitais e centros de saúde foram reabastecidos com alguns medicamentos e suprimentos. Espaços amigos da criança seguros foram criados em seis abrigos para os desalojados, e cerca de 6 mil crianças que sofrem de profunda angústia receberam ajuda psicológica.

“O UNICEF, junto com nossos parceiros, está empenhado em alcançar o maior número de crianças possível com o apoio de que necessitam. E nós poderemos fazer isso se os trabalhadores humanitários obtiverem o espaço humanitário de que precisamos”, disse Maria Calivis, diretora regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte de África.

“Somente em julho, mais de 4.500 crianças nasceram em Gaza. Para o bem dessas crianças, para o bem de todas as crianças, nós insistimos que todas as partes em conflito protejam as crianças de mais danos, e encontrem maneiras de alcançar uma paz duradoura – uma paz que proteja a infância”, disse Calivis. Contrapondo esses números nós precismos lembrar todos vocês que mais de 450 crianças em Gaza foram mortas em ataques aéreos e bombardeios recentes. Mais de 2.900 crianças foram feridas e mais de 50 mil estão desabrigadas.

Fonte – UNICEF Brasil

Ana Farias postou isto no dia 24 de agosto de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral