Reaproveitando água sem prejudicar a sua saúde

No domingo passado, 22, comemoramos o dia MUNDIAL da ÁGUA. Sairam diferentes postagens e abordagens sobre a necessidade de cuidado. Sobre as atitudes?? Precisam sair das telas, teclados e afins. Precisam ser reais. Com tanto racionamento, nos perguntamos: que água pode ser reaproveitada? Podemos armazenar ou é melhor economizar? E como fazer isso sem arriscar a saúde?

A relação da água com a sua saúde foi o tema do programa Bem Estar, na Semana da Água. Participaram do programa o consultor do Bem Estar e infectologista Caio Rosenthal, a microbiologista Maria Teresa Destro e a gestora de recursos hídricos Malu Ribeiro.

A água tem algumas classificações: água negra, água cinza, água branca e a água da chuva. A água negra não deve ser usada nunca. Ela vem do esgoto e não tem utilidade. Já a água cinza é a que tem resíduo, como sabão, sabonete, shampoo. Já a água branca é a potável. A água da chuva, do banho, da máquina deve ser usada imediatamente. Você pode reutilizar na limpeza do vaso sanitário, de pisos, lavagem do carro, por exemplo. Mas, em hipótese nenhuma beba a água, se não tiver certeza da potabilidade. A água para ser potável precisa passar por pelo menos oito processos complexos de limpeza.

A água da chuva tem resíduos de poluição, por isso não é ideal usar em roupas. “Você deve evitar o uso direto da água da chuva para banho, lavagem de roupa. Ela precisaria passar por um tratamento que não está acessível ao consumidor convencional”, alerta o geólogo Pedro Côrtes. Em razão do risco da dengue e outras doenças transmitidas por mosquitos, o melhor é economizar a água do que armazenar. Se for armazenar, tampe bem o local, para que essa água não vire criadouro do mosquito da dengue.

FONTE – Bem Estar

Ana Farias postou isto no dia 28 de março de 2015.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral