#PartiuMulher

Ontem o nosso vídeo ímpar foi especial, trouxe uma abordagem sobre a violência contra a mulher do ponto de vista infantil. Na simplicidade e na sinceridade percebemos que se houver informação e educação podemos evitar a violência. Por isso hoje compartilhamos um novo projeto com vocês, o #PARTIUMULHER

No começo de março participamos de uma reunião onde “nascia” o PARTIU MULHER, pelo menos para gente, um projeto que tem o intuito levar conhecimento às mulheres que já passaram por algum tipo de agressão, ou sofreram alguma forma de violência, mais informções sobre os seus direitos. Isso fará com que elas não permitam nenhum tipo de agressão e busquem maior respeito ao nosso gênero. Só podemos exigir que direitos sejam cumpridos quando sabemos quais são. O grupo também busca uma forma de direcionar a vida de cada uma delas, principalmente com relação ao mercado de trabalho, presta ajuda psicológica e direciona em decisões que busquem um equilíbrio interno e um auto-conhecimento. Muitas mulheres não sabem como se libertar de um relacionamento perturbador ou como agir na ocorrência de tentativas de abuso ou violência.

Confesso que para mim, Aninha, o assunto ainda está meio ‘cru’ por nunca ter lido muito sobre, mas o projeto é tão incrível que eu resolvi mergulhar a fundo e entender melhor todo esse processo de Direitos das Mulheres.  Não podemos permirtir que as mulheres passem por isso, se há leis em defesa elas precisam sair do papel e serem cumpridas. Há estudos que apontam 15 mulheres morrendo por dia no Brasil, vítimas de violência doméstica. Quem agride e quem sofre a agressão precisam saber: violência contra a mulher não tem desculpa, tem lei.

Além da violência, temos a questão do acesso. Se todas as mulheres tivessem completado os estudos primários, os casamentos infantis e a mortalidade infantil poderiam ser reduzidas. “Meninas educadas são mais propensas a casarem tarde e ter menos filhos, que terão mais chances de sobreviver, assim como melhores condições de nutrição e educação. Mulheres com mais alto nível de escolaridade também são mais produtivas em casa e mais bem remuneradas além de serem mais aptas a participar em decisões políticas, sociais e econômicas.” – UNICEF

Nós Selenators apoiamos essa causa, e apoiamos o #PartiuMulher – Saiba mais sobre esse trabalho incrível que está começando nas redes sociais.

Ana Farias postou isto no dia 30 de março de 2015.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral