inspire-se 2014

Não sabemos quantos de vocês lembram ou leram o nosso especial sobre Alzheimer. Ainda que possam passar por aqui pessoas que nem saibam sobre essa doença, acompanhar a Selena significa acompanhar a sua família. E a família da sua família. E esse é o INSPIRE-SE de hoje, um relato de um neto e seu amor incondicional sobre a sua avó.

Pelos últimos 3 anos e meio minha avó tem estado em um asilo. Eu sempre fui aquela pessoa que dizia “nunca vou deixar que aqueles que eu amo irem para um local desses”, mas depois de ver o quão grave é cuidar de alguém que tenha Alzheimer eu sabia que precisávamos fazer isso nessa situação. E hoje, eu não podia estar mais feliz com o cuidado que ela vem recebendo.

No início foi difícil, porque ela sabia que aquela não era a casa dela, mas eventualmente se tornou o local onde ela se sentia confortável. Ela começou a fazer amigos e caminhar pelo local, conversar com sua melhor amiga no espelho. Eu podia ir visitá-la e toda vez eu a encontrava no espelho, olhando para o seu reflexo e conversando. Seus olhos ainda brilham quando ela me vê e gostaria de sentar e ter nossas conversas como se tivéssemos feito isso muitas vezes antes. Ela iria me lembrar de como ela não havia comido em dias, por isso eu sempre faço questão de trazer uma xícara de seu iogurte favorito.

A coisa interessante disso tudo é que de vez em quando ela para de se lembrar quem algum de nós somos, mas duas coisas ela nunca se esquece, do meu avô e de que ela era a Mama Rosa, dona do “Mama Rosas Kids N Play Learning Center”. Em dias difíceis, eu iria tocar música para ela e ela viria a vida e me lembraria de como meu avô iria levá-la para dançar cada fim de semana. Gostaríamos de falar sobre o trabalho e como ela teve um longo dia com a cozinhar para todas as crianças. Ela amava essas crianças, elas foram-lhe tudo! Agora ainda falamos, é apenas um pouco diferente. Eu faço quase toda a conversa e ela apenas se senta em sua cadeira de rodas não é capaz de caminhar sorrindo e soprando me beijos. Alguns dias, ela acha que eu sou o namorado dela, outros dias ela sabe que eu sou alguém que realmente a ama.

A gente falava sobre trabalho e como ela passava o dia todo cozinhando para todas as crianças. Ela amava aquelas crianças, eles eram tudo para ela! Hoje, nós ainda conversamos, só é apenas diferente do que costumava ser. Eu sou o que fala durante toda a conversa agora, ela fica apenas sentada na sua poltrona, por não poder mais andar tanto, sorrindo e mandando beijos. Tem dias que ela pensa que eu sou o namorado dela, outros dias ela apenas sabe que eu sou alguém que realmente a ama.

Hoje todo o segundo que eu tenho a chance de documentar o máximo que consigo eu documento. Tiro fotos, faço vídeos, porque sei que quando a sua vida ficar mais complicada eu terei como dar forças a ela. Nessa montanha russa da vida quando as coisas ficam mais difíceis e eu começo a pensar mais do que realmente deveria, e como elas realmente são, eu olho as fotos da minha avó, dela mandando beijos, me abraçando e eu lembro de como a vida de verdade é simples!

Paz. Amor. Felicidades!

Jay Cosme

Fonte – Purple E

Ana Farias postou isto no dia 12 de janeiro de 2015.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral