somosparte-site

O que dizer sobre o “Somos Parte” de hoje. Profundo, bem profundo. Nunca conheci ninguém que tivesse passado por essa situação, pelo menos não que eu saiba. Confesso, até a Demi falar sobre esse assunto não conhecia muito bem sobre as situações ou as consequências. Depois procurei saber mais, e hoje depois dessa história, aguardem que logo faremos algo que possa ajudar quem está passando pela mesma situação que a Grasi passou.

Hoje em dia, muitos adolescentes cometem suicídios (a cada 4 segundos alguma pessoa morre por meio de um suicídio), ou tendo doenças como bulimia, anorexia, automutilação e etc. E eu sofria com isso, me cortava, e forçava, algumas vezes, o meu próprio vômito. Foi então que eu conheci o “Projeto Borboleta”, ele foi criado para evitar a automutilação, desenhando uma borboleta em qualquer parte do corpo. Conheci ele por meio de uma amiga e ela disse que com certeza eu iria parar se o seguisse, a automutilação parou, mas a bulimia, não.

E então, outros amigos vieram com a ideia de que eu poderia me livrar da bulimia do mesmo jeito que me livrei da automutilação. O lema era “Se você se cortar ou provocar algum mal ao seu corpo, as borboletas morrem”. Hoje, graças ao projeto, eu estou curada. Ah, a estimulação para continuar o “tratamento” veio mais ainda quando conheci a Selena. Ela me ajudou bastante, mesmo sem saber. Bastava apenas um “Sejam vocês mesmo” para eu ter esperança de que o mundo iria me aceitar do jeito que sou e que não precisaria de mais nada daquilo. Eu quero deixar uma mensagem àqueles que se cortam ou provocam qualquer mal ao corpo, sejam por qualquer motivo, seja pela não-aceitação da sociedade de como você é. Parem, e pensem que você tem que se aceitar e não a sociedade, siga o seu padrão, não o do mundo. Seja quem você realmente é. Vocês conseguem se livrar disso, qualquer um consegue, é só tentar.

Grasi, 14 anos – Bahia.

Ana Farias postou isto no dia 20 de novembro de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral