tapproject

Finalizando a parte ‘teórica’ desse especial, que fez não só vocês aprenderem sobre o consumo consciente da água, mas a gente mesmo, aprendeu muito. Não custa muito mudarmos certos hábitos e mantê-los. Assim vira costume diário e esquecer de fazê-los que será então uma novidade. Comece a pensar assim, vocês aos poucos vão perceber as grandes diferenças que estão proporcionando para o mundo!

VALORIZAR A SUJEIRA

Ainda falando do estado da California, a cidade de Ventura, as autoridades do departamento de água, em parceria com uma rádio local, criaram o desafio “Don’t wash your car” (Não lave seu carro, em inglês). Os moradores são incitados a ficar ao menos um mês sem limpar o automóvel e postar fotos dele no Facebook do departamento. Os donos das imagens que recebem mais curtidas ganham serviço completo em lava-rápidos locais que reciclam a água. Circular com o carro todo empoeirado virou sinal de status politicamente correto entre as celebridades de Hollywood.

Não precisa ser tão drástico, se sua família tem o costume de lavar o carro toda semana, que tal sugerir que seja semana sim, semna não?! Pode parecer pouco, mas já ajuda. No Brasil, a ONG The Nature Conservancy tem a campanha “Não chove, não lavo” , que estimula as pessoas a postar fotos de seus veículos no Instagram com a hashtag #naochovenaolavo, mas a campanha ainda não conseguiu mudar os hábitos da maioria dos motoristas. É por isso que dizemos, é melhor atitudes pequenas e não tão drásticas, porque assim mais pessoas aderem e divulgam.

DISTRIBUIR GRATUITAMENTE MEDIDORES INDIVIDUAIS, OS HIDRÔMETROS

Uma pesquisa realizada pela Agência de Proteção Ambiental americana concluiu que famílias que têm relógio para medir o uso da água gastam em média 28% menos que as que não têm. Por isso, o governo da cidade de Santa Clara passou a oferecer hidrômetros eletrônicos gratuitamente. Como resultado, a vazão dos reservatórios que abastecem o condado já caiu em um quarto desde janeiro. Vocês conseguem imaginar um consumo que não seja medido? Porque a gente não.

No Brasil, edifícios mais antigos costumam ter um único hidrômetro. Como a conta total é dividida entre todos os apartamentos, muitos moradores não enxergam incentivos para economizar. O custo para fazer a “individualização” da conta de água passa dos 300 reais e pode chegar a 3 mil reais, o que leva muitos condomínios a protelar a mudança infelizmente.

Ah, a parte teórica do “consumo consciente” acabaou hoje, mas amanhã temos um vídeo lindo. De verdade, não esqueçam de conferir!

Ana Farias postou isto no dia 30 de dezembro de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral