Entendendo o Lúpus #5

Mais uma semana sem notícias para os Selenators. A saudade está assim em um tamanho que não sabemos nem explicar, mas com certeza ela está proporcional ao nosso desejo de que tudo esteja bem com a nossa Selena. Esse período todo que não recebemos nenhuma informação dela está nos preocupando sim, está criando um vazio enorme sim. O que podemos fazer nesse meio tempo? Conhecer melhor o que é o Lúpus. Divulgar melhor o que é o Lúpus.

Já falamo aqui algumas vezes que o maior dos problemas do Lúpus na sociedade, além claro de ser uma doença auto imune e isso dificultar o tratamento, é o fato dela ser ‘invisível’. Como assim invisível? Não reconhecemos os sintomas se olhamos uma pessoa que diz ter lúpus, mas se olharmos hoje depois de conhecer um pouco mais da doença somos capazes de identificar esses sintomas.

Com a nossa Selena foi assim. Seja por feridas que ela tinha nos lábios, por ganhar peso de uma hora para outra nos últimos anos. Ambos são consequências de ter a doença. Efeitos, muitas vezes, do uso de medicações para amenizar a doença. A grande questão é nunca vamos saber o que real a nossa Selena está sentindo, mas podemos imaginar se nos propormos a conhecer melhor a doença. Conversar sobre faz bem. Conversar sobre é importante, mesmo que alguns depoimentos sejam tristes. Tudo na vida tem um lado bom e um lado ruim, não importa o que a gente pense. Podemos viver aceitando nossas quedas, ou usar essas quedas que temos e crescer.

No momento que a Selena afirma que irá doar parte dos seus lucros para a pesquisa da doença ela não só ajuda todos os envolvidos que serão beneficiados com essas pesquisas, como também divulga algo que não é falado por ser ‘invisível’. Ser indiretamente porta voz de uma causa coloca em foco algo que não é falado e estar em foco gera curiosidade e por sua vez pode proporcionar investimentos futuros. Nosso sonho pessoal é que a nossa Selena se torne essa porta voz para a causa e possa tonar a doença mais conhecida, que ela se sinta confortável em falar sobre e para aceitar que a sua voz pode fortalecer muitos que lutam com a mesma doença. Que ela continue na sua zona de conforto sempre que achar necessário, porque ainda que a saudade seja grande, sabemos o quão cruel pode ser esse mundo que vivemos e ela não precisa sofrer com o julgamento de pessoas que não entendem o que é ter Lúpus.

Ana Farias postou isto no dia 28 de setembro de 2016.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral