Entendendo o Lúpus #1

Já postamos sobre a doença, logo quando nós – fãs – descobrimos, se você não leu nosso primeiro post, dá uma olhadinha aqui.  Nossa Selena foi diagnosticada com a doença em 2011, mas só no ano passado que ela se sentiu bem para compartilhar com a mídia. Lembrando que artistas como a cantora Lady Gaga, a apresentadora Astrid Fontenele são alguns nomes que também estão em uma luta constante contra o Lúpus. Não postamos tanto sobre a doença aqui, mas devido aos últimos acontecimentos que o fandom e admiradores da Selena receberam nos últimos dias sobre o cancelamento da Turnê Mundial em função da doença, resolvemos começar a postar sobre o assunto sempre. Assim estaremos mais próximos pelo menos de entender a doença.

Dói saber que muitos não terão a oportunidade de viver a Revival Tour. Dói porque alguns estão passando por isso pela segunda vez. Mas não é uma dor maior do que a que sentimos por não podermos fazer muito além do que fazemos, mostrar apoio e pedir que as coisas melhorem e que ela não sofra. Além de um outro fator, não é porque você, alguém de sua família e/ou amigos não tenha o caso presente em sua vida, que você não possa lutar e apoiar essa causa junto de tantas outras pessoas anônimas que estão passando por altos e baixos por causa da doença.

O que é Lúpus?

O lúpus eritematoso sistêmico (LES), conhecido popularmente apenas como lúpus, é uma doença autoimune que pode afetar principalmente pele, articulações, rins e cérebro, mas também todos os demais órgãos. Doenças autoimunes ocorrem quando o sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano. Dentre mais de 80 doenças autoimunes conhecidas, o lúpus é uma das mais importantes.

Lúpus discoide

A inflamação é sempre limitada à pele. Este tipo pode ser identificado a partir do surgimento de lesões cutâneas avermelhadas que costumam aparecer no rosto, na nuca ou também no couro cabeludo. *Aparentemente, não acreditamos que esse seja o que a Selena tenha, pois não vemos ela com feridas e tal.

Lúpus sistêmico

A inflamação ocorre no organismo, comprometendo vários órgãos ou sistemas do corpo não sendo restrito a pele. Algumas pessoas com lúpus discoide podem evoluir para a forma sistêmica. Os sintomas causados por este tipo da doença dependem do local da inflamação como rins, coração, pulmões e até ao sangue, além das lesões cutâneas e às articulações. *Nós pessoalmente acreditamos que esse é o tipo enfrentado pela nossa princesa, principalmente por ela ter já tido que passar por sessões de quimiterapia.

Fatores de risco

Fatores que acabam por facilitar a incidência de lúpus:

  • Sexo biológico, a doença é mais comum em mulheres do que em homens;
  • Idade, a maior parte dos diagnósticos acontece entre os 15 e os 40 anos, apesar de poder surgir em todas as idades
  • Etnia: lúpus é mais comum em pessoas afro-americanas, hispânicas e asiáticas.

“Os sintomas são variados. As queixas mais prevalentes de quem possui Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), os chamados sintomas constitucionais, são: fadiga, febre moderada, dores musculares, perda de peso e inchaço dos gânglios linfáticos. O envolvimento das articulações é o mais comum, sendo detectado em mais de 90% dos casos durante a evolução da doença. As lesões de pele podem ser comuns e variadas, sendo que a lesão em “asa de borboleta” uma manifestação clássica do lúpus. No lúpus cutâneo, placas vermelhas no formato de uma moeda e cobertas por uma escama, aparecem no couro cabeludo, nas orelhas, no rosto e no pescoço, e podem deixar cicatrizes. Qualquer dúvida, consulte um médico reumatologista.”- via, Lúpus – Uma Questão de Foco

OBS: Caso vocês se interessem mais pelo assunto e queram fazer algum tipo de doação #LúpusUmaQuestãodeFoco #WalkToEndLupus #EndLupusNow

Vic Medeiros postou isto no dia 31 de agosto de 2016.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral