Aproveitando esse clima de fim de ano e com todas essas festividades que rolam nessa época, o post de hoje será sobre o que eu descobri recentemente no orfanato: o que acontece por lá nos últimos dias do ano. Confesso que fiquei surpresa, porque, como sempre tendo a ideia errada sobre o orfanato, descobri que as crianças podem passar o natal e o ano novo com seus padrinhos. Mas o que seriam padrinhos?

Padrinhos nada mais são meio que uma fada madrinha para as crianças. Eles apadrinham uma criança a sua escolha e sempre que essa criança precisar de ir ao médico por exemplo, os padrinhos ajudam com os medicamentos necessários, ou no dia do aniversário da criança apadrinhada, eles podem dar uma festinha para elas, sair com elas e dar presentes. Resumindo, padrinhos são como pais das crianças e as ajudam o quanto querem e quando querem. Geralmente quem apadrinha as crianças também é porque querem adotá-las, ou seja, estão a apenas um passo de formar uma família com elas.
Quando eu fui visitá-los essa semana de natal, o orfanato estava praticamente vazio, com apenas 3 crianças e os bebês do berçário, que não podem ser levados com seus padrinhos para passar o natal e ano novo por serem muito pequenos, o orfanato estava vazio.

A maioria das crianças passaram o natal com seus padrinhos, dormiram na casa deles e, após o natal, eles voltaram para o orfanato. Outros foram passar o natal e ficarão com seus padrinhos até após o ano novo. Outros voltaram novamente para a casa de seus padrinhos para o ano novo e voltaram para o orfanato.

Que é uma atitude linda, o fato dos padrinhos quererem proporcionar um natal de verdade e ano novo para as crianças, é sim. Porém não sei informar até quando isso é saudável. Como elas ainda são muito pequenas, elas devem, e algumas ficam, com a falsa esperança de que finalmente estarão saindo do orfanato pra valer e que nunca voltarão novamente. A maioria que volta da casa dos padrinhos ficam tristes e não entendem o porque elas não podem ficar definitivamente com eles. Outras já estão acostumadas a ir e voltar, porque todo o fim de ano é a mesma coisa.

Quanto a isso não podemos fazer muita coisa, a não ser tentar mantê-los ao máximo mentalmente seguros e explicar a situação do porque de tantas idas e voltas, e que, um dia, eles irão para ficar pra sempre..

Michele Lima postou isto no dia 30 de dezembro de 2013.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral