Copa do Mundo no Brasil. Brasileiros mais patriotas que nunca. Um esporte que une diferentes nações, junta amigos e traz de volta a mania do álbum de figurinhas. Não faço parte dos que estão colecionando, sofrendo para completar o álbum antes que a Copa acabe. No entanto convivo com muitos que estão nessa disputa para conquistar o título “completei antes de todo mundo”, engraçado sim, mas algo que traz um inclusão social, acreditem.

Por inclusão social podemos citar duas situações diferentes. Uma criança tímida, que fala baixinho, mas que por ter um assunto em comum com os populares ou mesmo os mais velhos vence a timidez. Não que elas não se conheçam, pelo contrário, vivem no mesmo local, apenas possuem idades diferentes. Se em uma viagem ou passeio ela era excluída pelos maiores em determinadas brincadeiras, ou por não ter possibilidade ou mesmo oportunidade de vencer a barreira da sua timidez, hoje por questões de figurinhas toda essa timidez já não existe.

Ainda existem aqueles que por “sorte” acabam conseguindo as figurinhas mais desejadas primeiro, ou completam uma seleção antes de todos. Isso gera interesse, tanto por parte dos que ainda não possuem aquelas figurinhas, ou mesmo de pessoas como eu, pro exemplo, que apesar de não ter o álbum tem curiosidade de ver. É a curiosidade dos que não colecionam, mas querem ver e conhecer quem está fazendo parte dessa copa, que faz com que os donos dos álbuns se sintam especiais. Muitas vezes em função da posição do curioso em questão.

Acho que esses tímidos, muitas vezes excluídos, podem ser comparados com os que um dia já foram excluídos do seu grupo seja pela própria timidez ou por não se encaixar nos grupos com os quais convive por ter hobbies diferentes. Lembram que anos atrás usar óculos não era uma coisa legal? Hoje já é normal, comum.. há quem use por vaidade e não necessidade. A ideia principal de possuir o álbum de figurinhas do momento é a mesma coisa, alguns fazem porque gostam. Outros fazem só para se sentirem parte, e terminam gostando da brincadeira.

O que aprendemos com tudo isso, sair da nossa zona de conforto nunca é uma situação agradável, mas não é uma situação impossível. Seja através de um álbum de figurinhas, seja por uma banda ou música nova, seja por um desenho, filme ou novela… busque um porto seguro que possa te guiar, te dar coragem para que você saia da sua zona de conforto e VIVA! Lembre-se:

“Você não tem que falar o tempo todo. Às vezes, apenas estar presente já basta.”
– Will Schwalbe

Ana Farias postou isto no dia 16 de junho de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral