Publicado por Michele Lima em 26.maio.2014

Diário Voluntário

Confira mais um post da coluna semanal Diário Voluntário, em parceria com o SGBR:

Com certeza vocês já devem ter se perguntado como que os orfanatos sobrevivem, ou pelo menos já tem uma ideia. Antes de eu me tornar uma voluntária assídua, eu já imaginava que o Governo os ajudavam e parava aí. Só que, se viverem apenas do governo pode ter a certeza de que alguma coisa sempre irá faltar, afinal, não existe apenss um orfanato em sua cidade (dependendo de onde você vive).

Orfanatos em geral contam com uma ajuda extremamente importante de doadores, órgãos públicos e privados, de todos aqueles que os quiserem ajudar. E mesmo com essa ajuda vinda de todos os lugares sempre falta algo. Quer sejsm verduras, alimentos não perecíveis, lanches (estamos falando de crianças) e, principalmente, de leite, alimento imprescindível para o crescimento de qualquer mamímero.

E leite é o que mais falta.

Estou falando de tudo isso apenas para chegar nesse ponto em comum: doe. Comente com seus pais, tios, avós, familiares, vizinhos, todos. Seja solidário, nem que seja com uma peça de roupa, um par de sapatos, um pacote de leite. Doe, seja solidário. Você nunca perde, só tem a ganhar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO