Barbie Drag Queen

Um artista plástico norte-americano transformou as famosas bonecas da Mattel em belíssimas drag queens. Afinal, trabalhamos por inclusão não é mesmo?

A boneca Barbie é um dos produtos mais icônicos da história do consumo mundial. O brinquedo já alcançou lojas de ruas e shopping centers de mais de 180 países e superou a casa de um bilhão de unidades vendidas em 58 anos de vida. Sim, assustador!

Tanto sucesso transformou a Barbie em algo muito além de um brinquedo. A boneca virou parâmetro de beleza e, mais recentemente, esteve no epicentro de discussões sobre inclusão social. Por razões óbvias… nenhuma mulher consegue ser a Barbie, os padrões que ela apresenta são muito utópicos. Além do fato de que TODAS são iguais, a pouca variação que existe é na cor do cabelo e pronto.

Um exemplo aconteceu em 2009: a Mattel (fabricante do brinquedo) lançou  Trichelle e Vanessa, as primeiras bonecas negras da linha de produtos da loira e esbelta Barbie.
Agora, a icônica boneca está no centro da criação de um artista plástico que uniu a Barbie ao universo das coloridas Drag Queens.

A revista norte-americana Cosmopolitan exibiu o trabalho do artista plástico Mark Jonathan, que transformou as bonecas da Mattel nas drag queens do programa Ru Paul’s Drag Race – um programa exibido no Brasil no canais fechados Multishow, VH1 e Comedy Central. O trabalho ficou incrível e o resultado pode ser visto na galeria abaixo.

Vic Medeiros postou isto no dia 30 de julho de 2017.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral