87Novembro

Depois de alguns anos trabalhando com o SGFFC, acho justo eu ter assuntos que me animam. Compartilhar ações que incentivam educação é um exemplo disso. A grande atitude que estamos compartilhando aqui hoje acontece um pouco longe do Brasil, mas ainda assim, merece destaque!

Na Nigéria existe uma vila chamada Makoko – perto de Lagos, a segunda maior cidade do país – onde moram cerca de 100 mil pessoas. Não é muito, mas é uma vila, lembrem-se. Em determinados períodos do ano, esse vilarejo é tomado pela água, o que torna tudo muito difícil – inclusive o acesso à única escola de ensino primário da região, que fica a maior parte do tempo submersa. Só que, quando um quer e outro ajuda… coisas acontecem:

O escritório de arquitetura NLÉ, fundado pelo nigeriano Kunlé Adeyemi, criou um projeto – e seu protótipo – para driblar a situação: uma escola flutuante. A escola pode acomodar até 100 estudantes independente do nível da água.

Segundo Kunlé, trata-se de “uma estrutura que se adapta à mudança da maré e a diferentes níveis de água, e não é vulnerável a enchentes e grandes tempestades. Seu design também contempla o uso de energia renovável, a reciclagem de lixo orgânico e a coleta de água da chuva”.

Inicialmente, a ideia do arquiteto é construir uma escola – já que educação aqui é prioridade! -, mas seu projeto pode prestar outros serviços à população, de acordo com a necessidade, como posto de saúde, espaço para convivência social, mercado e etc.

O projeto da NLÉ pode ser aplicado em regiões costeiras da África e outros lugares do mundo que sofrem com falta de infraestrutura. Logo, logo, por conta das mudanças climáticas e do aumento do nível do mar, muita gente do ‘primeiro mundo’ poderá precisar também.

Se o projeto se espalhar e ganhar força, é assim que a comunidade africana ficará. Nós concordamos, quem mora perto do mar sabe que quando a maré sobe estragos acontecem. Nossos governantes poderiam começar a pensar em saídas assim. Nós apoiamos.

Fonte – Planeta Sustentável

Ana Farias postou isto no dia 20 de abril de 2014.


Comentários
Design e programação: Isabella Sivic & Danielle Cabral